quinta-feira, 3 de novembro de 2011

POSIÇÃO DECÚBITO LATERAL: TÓRAX (RAIOS HORIZONTAIS)





ESPECIAL:
Decúbito dorsal ou semi-ortostática AP
Decúbito lateral (AP)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 35 x 43 cm (14 x 17 polegadas)
no sentido transversal (em relação ao paciente)
Grade móvel ou fixa
limite de 110-125 kVp
Usar marcadores de decúbito (ou setas)
Técnica e dose:

Proteção: Colocar avental de chumbo para proteger as gônadas.
Posição do Paciente
Prancha cardíaca na maca ou almofada radiotransparente sob
o paciente. Paciente deitado sobre o lado direito (decúbito lateral direito)
e sobre o lado esquerdo (decúbito lateral esquerdo) (ver Observações)
O queixo e ambos os braços do paciente elevados acima da cabeça para
não encobrirem os campos pulmonares; região dorsal do paciente mantida
firme­mente contra o chassi; a maca estabilizada com segurança, para
evitar que o paciente se mova para a frente, deteriorando a imagem
resultante; travesseiro sob a cabeça do paciente
Joelhos ligeiramente flexionados e plano coronal paralelo ao chassi
sem rotação do corpo

Posição da Parte

Ajustar a altura do chassi para centraliza-lo com o tórax (ver Observações)
Ajustar o paciente e a maca para centralizar o plano mediossagital e 17
com o RC (parte superior do chassi cerca de 2,5 cm acima da
vértebra proeminente).


Raio Central
RC horizontal, direcionado para o centro do chassi, ao nível de n, 8 a
10 cm (3 a 4 polegadas) abaixo do nível da incisura jugular. Um feixe
horizontal tem de ser usado para mostrar nível hidroaéreos ou
pneumotórax
DFoFi de 180 cm (72 polegadas)

Colimação: Colimar a área dos campos pulmonares (ver Observações).

Respiração: A exposição é feita no final da segunda inspiração profunda
e completa.

Alternativa de Posicionamento: Alguns serviços preferem que a cabeça
esteja posicionada 100 a menos que os quadris para reduzir o desvio
apical causa­do pelo ombro, permitindo assim que todo o tórax continue
horizontalizado (necessita de um apoio sob os quadris).

Observações: Colocar o marcador apropriado para indicar que lado do tórax estava para cima.
A radiografia pode ser realizada com decúbito lateral direito ou esquerdo. Para investigar
a possibilidade da presença de líquido na cavidade pleural (derrame pleural), o lado
suspeito deve estar para baixo. Atentar para que esse lado do tórax não seja cortado.
Para pesquisar a possibilidade de pequenos volumes de ar na cavidade pleural
(pneumotórax), o lado afetado deve estar para cima, tomando-se cuidado para que
esse lado do tórax não seja cortado na radiografia.

Critérios Radiográficos
Estruturas Mostradas: Devem ser evidenciados completamente ambos os pulmões, incluindo os ápices, e ambos os ângulos costofrênicos, além de ambas as bordas laterais das costelas. Posição: . Sem rotação: A distância entre a coluna vertebral e as bordas laterais das costelas em ambos os lados deve ser a mesma; as articulações esternoclaviculares devem estar à mesma distância da coluna vertebral. . Os braços não devem se sobrepor às porções superiores dos pulmões.


3 comentários:

  1. Quero saber porque alguns técnicos deixam o paciente esperando na mesma posição de 10 a 15 minutos e outroa até professores dizem que não é necessário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não sei o tempo[pois ainda sou aluno], mas sei que é valido qualquer tipo de exame para identificar todos os tipos de patologias, por que se não nem existiria esse exame.
      podendo ser identificado derrame pleural com mais facilidade.

      Excluir
    2. porque o profissinal vai avaliar se o exame saiu como deveria, caso contrário o posicionamento precisará de alguns ajustes, fazendo com que ele possa comparar a forma que deixou o paciente. Esse método é mais usado para profissionais que não tem muita experiência e assim facilita para ele.

      Excluir