quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

PA OU PA AXIAL: MANDÍBULA





BÁSICAS 
Axiallateral
PA (ou axial PA)
Axial AP (Towne)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas), sentido longitudinal
Grade móvel ou estacionária
Faixa de 70 a 80 kVp
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente: Tire todo metal, plástico e outros objetos remo­víveis
da cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito ventral.

Posição da Parte 
Repouse a testa e o nariz do paciente contra a superfície da mesa/ Bucky vertical.
Encolha o queixo, colocando a LOM perpendicular ao filme (veja Observação).
Alinhe o plano mediossagital perpendicular à linha média da grade ou da
superfície da mesa/Bucky (assegurando que não haja rotação
ou inclinação da cabeça). (entre o filme para o RC projetado
(para a junção dos lábios).

Raio Central
PA: Alinhe o RC perpendicular ao filme, centrado para sair na junção
dos lábios.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).
PA axial/ opcional: Angule o RC 20 a 25° caudalmente, centrado para
sair no acântio.

Respiração:Prender a respiração durante a exposição.

Critérios Radiográficos
Estruturas Mostradas: PA: Os ramos mandibulares e a porção lateral do
corpo são visíveis. Axial PA opcional: a região da ATM e as cabeças dos
côndilos são visíveis através dos processos mastóides; os processos
condilóides são bem visualizados (ligeiramente alongados).


AXIAL LATERAL: MANDÍBULA



BÁSICAS
Axial lateral
PA (ou axial PA)
Axial AP (Towne)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas), sentido transversal
Grade móvel ou fixa
Faixa de 70 a 80 kVp
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente: Tire todo metal, plástico e outros objetos removí­veis
da cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito dorsal.
(Se for em decúbito dorsal, coloque o filme em uma esponja em cunha
para minimizar a DOF.) Utilize a grade colocada no sentido vertical para
a posição de trauma com raio horizontal.

Posição da Parte
Coloque a cabeça em uma posição lateral, com o lado de interesse contra o filme.
Se possível, faça o paciente fechar a boca e cerrar os dentes.
Estenda o pescoço para evitar superposição da coluna cervical pelo queixo.
Rode a cabeça em uma direção oblíqua. O grau de inclinação vai depen­der
de que seção da mandíbula é de interesse. (A área de interesse, se
conhecida, deve ser posicionada paralela ao filme.)
A cabeça na posição lateral verdadeira mostra melhor o ramo.
A rotação de 30° na direção do filme mostra melhor o corpo.
A rotação de 45° mostra melhor o mento.
A rotação de IDa 15° é a que melhor fornece um levantamento geral
da mandíbula.

Raio Central
Angule o RC 25° caudalmente à LlP; para a posição de trauma com raio
horizontal, angule o RC em 5 a 10° adicionais posteriormente.
Dirija o RC para sair pela região mandibular de interesse.
Centre o filme para o RC projetado.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração.
Observação: Para pacientes traumatizados que não podem ficar de pé ou em
posições semideitadas, veja a incidência para trauma com feixe hori­zontal
(Fig. 12.76), conforme descrito com mais detalhes no Capo 19 sobre
radiografia no trauma.

Critérios de Avaliação
Estruturas Mostradas:  Ramos, processos condilares e coronóides,
corpo e mento da mandíbula mais próximos do filme.





PARIETO ORBITAL (MÉTODO DE RHESE): FORAMES ÓPTICOS




BÁSICAS 
Parieto-orbitária (Rhese)
Parietoacantial (método de Waters),p.364
ESPECIAL 
Parietoacantial modificada (método de Waters modificado)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas)
Grade móvel ou estacionária
Faixa de 70 a 80 kVp
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Forames ópticos

Posição do Paciente: Tire todo metal, plástico e outros objetos remo­víveis
da cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito dorsal.

Posição da Parte 
Como uma referência inicial, posicione o queixo, a bochecha e o nariz do
paciente contra a superfície da mesa/Bucky vertical (veja Observações).
Ajuste a cabeça conforme necessário, de maneira que o plano mediossagital
forme um ângulo de 53° com o filme. (Um indicador de ângulo deve ser utilizado
para obter um ângulo de 53° preciso a partir de uma posição lateral.)
Posicione a linha acantiomeatal perpendicular ao plano do filme.

Raio Central
Alinhe o RC perpendicular ao filme, centrado na órbita voltada para baixo.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração durante a exposição.

Critérios Radiográficos
Estruturas Mostradas: Secção transversal de cada canal óptico e uma visão
não-distorcida do forame óptico.


MÉTODO DE TOWNE MODIFICADO: ARCOS ZIGOMÁTICOS




BÁSICAS
Submentovértice . Axial oblíqua (tangencial)
Axial AP (Towne modificado)

Fatores Técnicos

Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas), sentido transversal
Grade móvel ou estacionária, técnica para teci­dos moles próximos (se for
utilizado controle automático de exposição, a densidade deve ser diminuída
em aproximadamente 50%)
Faixa de 60 a 70 kVp.
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente: Tire todo metal, plástico e outros objetos remo­víveis
da cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito dorsal.

Posição da Parte

Repouse a parte posterior do crânio do paciente contra a superfície da
mesa/Bucky vertical.
Encolha o queixo, trazendo a LOM (ou LlOM) perpendicular ao filme
(veja Observação abaixo).
Alinhe o plano mediossagital perpendicular à linha média da grade ou da
superfície da mesa/Bucky vertical para evitar rotação ou inclinação da cabeça.

Raio Central

Angule o raio central 300 caudalmente à LOM ou 370 à LlOM (veja Observação ).
Centre o RC para 2,5 cm (1 polegada) superior à glabela (para passar
através dos arcos médios). Centre o filme para o RC projetado.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração durante a exposição.

Critérios Radiográficos

Estruturas Mostradas: Arcos zigomáticos bilateralmente.

ÍNFERO-SUPERIOR (TANGENCIAL): ARCOS ZIGOMÁTICOS




BÁSICAS
Submentovértice
Tangencial oblíqua
Axial AP (Towne modificado)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas), sentido longitudinal
Faixa de 60 a 70 kVp (técnica para tecidos moles)
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente
Tire todo metal, plástico e outros objetos remo­víveis
da cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito dorsal. De pé,
que é mais fácil para o paciente, pode ser feita com uma mesa na posição
vertical ou com um Bucky vertical.

Posição da Parte 
Eleve o queixo, hiperestendendo o pescoço até que a linha infra­
orbitomeatal esteja paralela ao filme (veja Observações).
Repouse a cabeça no vértice do crânio.
Rode a cabeça 15° na direção do lado a ser examinado; então incline
também o queixo 15° na direção do lado de interesse.

Raio Central
Alinhe o RC perpendicular ao filme e à LIaM (veja Observações). Centre
o RC para o arco zigomático de interesse. (O RC roça a eminência parietal
e o corpo da mandíbula.)

Ajuste o filme para que fique paralelo à LlOM e perpendicular ao Rc.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração.

Critérios Radiográficos

Estruturas Mostradas: Arco zigomático único, livre de superposição.



quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

SUBMENTOVÉRTICE (HIRTZ): ARCOS ZIGOMÁTICOS





BÁSICAS 
Submentovértice 
Tangencial oblíqua
Axial AP (Towne modificado)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas), sentido transversal
Faixa de 60 a 70 kVp (técnica para tecidos moles)
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente Tire todo metal, plástico e outros objetos removíveis da
cabeça. Essa incidência pode ser obtida com o paciente de pé ou em decúbito
dorsal. A posição de pé pode ser mais fácil para o paciente.

Posição da Parte
E8
Eleve o queixo, hiperestendendo o pescoço até que a linha infra­
orbitomeatal esteja paralela ao filme (veja Observações).
Repouse a cabeça no vértice do crânio.
Alinhe o plano mediossagital perpendicular à linha média da grade ou à
superfície da mesa/Bucky vertical, evitando toda inclinação e/ ou rotação.

Raio Central
Alinhe o RC perpendicular ao filme (veja Observações).
Centre o RC a meio caminho .entre os arcos zigomáticos, aproxima­ da mente
11/2 polegada (4 cm) inferior à sínfise mandibular.
Centre o filme no RC, com o plano do filme paralelo a LlOM.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração durante a exposição.

Observações: Se o paciente for incapaz de estender o pescoço o suficiente,
angule o RC perpendicular a LIaM. Se o equipamento permitir, o filme
também deve ser angulado para manter a relação perpendicular RC/filme
(veja Fig. 12.61, detalhe).

Essa posição é muito desconfortável para os pacientes; complete a incidência
o mais rápido possível.

Critérios Radiográficos
Estruturas Mostradas: Os arcos zigomáticos são mostrados projetando-se
lateralmente de cada osso zigomático e temporal (a não ser que tenham sido
afetados por trauma - por exemplo, fratura com afundamento).


LATERAL: OSSOS NASAIS





BÁSICAS 
Lateral
Parietoacantial (método de Waters; veja p. 375)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas)
Detalhe a tela se for filme/tela convencional topo da mesa sendo utilizado
Faixa de 50 a 60 kVp
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:
Sem controle automático de exposição

Posição do Paciente: Tire todo metal, plástico e outros objetos remo­viveis
da cabeça. A posição do paciente é em decúbito ventral ou de pé.

Posição da Parte
Repouse o aspecto lateral da cabeça contra a superfície da mesa/Bucky
vertical, com o lado de interesse mais próximo do filme.
Posicione os ossos nasais para o centro do filme.
Ajuste a cabeça em uma posição lateral verdadeira e coloque o corpo em
posição oblíqua da forma que for necessária para o conforto do paciente
(colocando um bloco de esponja sob o queixo se necessário).
Alinhe o plano mediossagital em paralelo com uma superfície de
mesa/Bucky vertical.Alinhe a linha interpupilar perpendicular à superfície
da mesa/Bucky vertical.Posicione a linha infra-orbitomeatal perpendicular
à borda frontal do filme.

Raio Central
Alinhe o RC perpendicular ao filme.
Centre o RC para 1/2 polegada (1,25 cm) inferior ao násio.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração durante a exposição.

Critérios Radiográficos
Estruturas Mostradas: . Ossos nasais com as estruturas nasais de tecidos
moles, a sutura frontonasal e a espinha nasal anterior. 

PARIETOACANTIAL MODIFICADA (WATERS): FACE




ESPECIAL
Parietoacantial modificada (método de Waters modificado)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 18 x 24 em (8 x polegadas), no sentido longitudinal
Grade móvel ou estacionária
Faixa de 70 a 80 kVp
Ponto focal pequeno
Técnica e dose: em kVI

Posição do Paciente: Tire todo metal, plástico e outros objetos removíveis
da cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito ventral (a posição
de pé é preferida, se a condição do paciente o permitir).

Posição da Parte 
Estenda o pescoço, repousando o queixo e o nariz contra a superfície da
mesa Bucky vertical.
Ajuste a cabeça até que a linha labiomeatal (LLM) esteja perpendicular; a
LOM forma um ângulo de 55° com o filme.
Posicione o plano mediossagital perpendicular alinha média da grade ou da
superfície da mesa Bucky vertical.  Assegure-se de que não haja rotação ou
inclinação da cabeça.

Raio Central
Alinhe o RC perpendicular, centrado para sair no acântio. . Centre o filme
para o RC
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração durante a exposição.

Critérios Radiográficos
Estruturas Mostradas:  Os soalhos das órbitas são visíveis
nessa incidência, que também fornece uma vista menos distorcida das bordas
orbitárias como um todo do que uma incidência parietoacantial (Waters).


terça-feira, 6 de dezembro de 2011

LATERAL: OSSOS DA FACE


BÁSICAS 

Lateral
Perietoacantial (método de Waters)
Axial PA (método de Caldwell)

Posição do Paciente: Tire todo metal, plástico e outros objetos removíveis
da cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito ventral.

Posição da Parte

Repouse o aspecto lateral da cabeça contra a superfície da mesa ou do Bucky
vertical, com o lado de interesse mais próximo ao filme.
Ajuste a cabeça em uma posição lateral verdadeira e o corpo em posição
oblíqua da forma que for necessária para o conforto do paciente. (palpe a
protuberância occipital externa posteriormente e o násio ou glabela anteriormente
para se assegurar de que esses dois pontos estão eqüidistantes do topo da mesa.) 
Coloque esponja de apoio sob o queixo se necessário.
Alinhe o plano mediossagital paralelo ao filme.
Alinhe a linha interpupilar perpendicular ao filme.
Ajuste o queixo para trazer a linha infra-orbitomeatal perpendicular à
borda frontal do filme.

Raio Central

Alinhe o RC perpendicular ao filme.
Centre o RC no zigoma, a meio caminho entre o canto externo e o MAE.
Centre o filme no RC
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração.

Critérios Radiográficos

Estruturas Mostradas: Ossos faciais superpostos, asas maiores do
esfenóide, tetos das órbitas, sela turca, zigoma e mandíbula.


PA AXIAL (MÉTODO DE CALDWELL): FACE




BÁSICAS
Lateral
Parietoacantial (método de Waters) 
Axial PA (método de Caldwell)

Fatores Técnicos

Tamanho do filme - 24 x 30 cm (10 x 12 polegadas), sentido longitudinal,
ou 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas)
Grade móvel ou estacionária
Faixa de 70 a 80 kVp
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente:
Tire todo metal, plástico e outros objetos remo­víveis
da cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito ventral (a posição
de pé é preferida, se a condição do paciente o permitir).

Posição da Parte

Repouse o nariz e a testa do paciente contra o topo da mesa.
Retraia o queixo, colocando a LOM perpendicular ao filme.
Alinhe o plano mediossagital perpendicular à linha média da grade ou superfície
da mesa/Bucky. Assegure-se de que não haja rotação ou inclinação da cabeça.

Raio Central

Angule o RC 15° no sentido caudal, para sair no násio (veja Observação ).
Centre o RC para o filme.
Assegure DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Respiração: Prender a respiração.

Observação: Se a área de interesse são os soalhos das órbitas, use um
ângulo caudal de 30° para projetar as cristas petrosas abaixo da margem
orbitária inferior.

Critérios Radiográficos

Estruturas Mostradas: Borda orbitária inferior, maxilas, septo nasal, ossos
zigomáticos, arcos zigomáticos e espinha nasal anterior. 



PARIETOACANTIAL (MÉTODO DE WATERS): FACE




BÁSICA
Lateral
Parietoacantial (método de Waters)
Axial PA (método de Caldwell)

Fatores Técnicos

Tamanho do filme - 24 x 30 cm (10 x 12 polegadas), sentido longitudinal, ou
18 X 24 cm (8 x 10 polegadas)
Grade móvel ou estacionária
Faixa de 70 a 80 kVp

Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente: Tire todo metal, plástico e outros objetos removíveis da
cabeça. A posição do paciente é de pé ou em decúbito ventral
(a posição de pé é preferida, se a condição do paciente o permitir).

Posição da Parte

Estenda o pescoço, repousando o queixo contra a superfície da mesa/
do Bucky vertical.
Ajuste a cabeça até que a linha mentomeatal (LMM) esteja perpendicular
ao plano do filme. A LOM irá formar um ângulo de 37° com a mesa/
superfície do Bucky.
Posicione o plano mediossagital perpendicularmente à linha mé­dia da
grade ou da superfície da mesa/Bucky, evitando rotação e/ou inclinação
da cabeça. (Uma forma de checar a rotação é palpar os processos
mastóides de cada lado e as margens orbitárias laterais com o polegar e
as pontas dos dedos para se assegurar de que essas linhas estão
eqüidistantes do topo da mesa.)

Raio Central

Alinhe o RC perpendicular ao filme, para sair no aeântio. . Centre o filme no RC
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 em).

Respiração: Prender a respiração.

Critérios Radiográficos

Estruturas Mostradas: Borda orbitária inferior, maxilas, septo nasal, ossos
zigomáticos, arcos zigomáticos e espinha nasal anterior. 



sábado, 3 de dezembro de 2011

AP AXIAL - SELA TURCA (MÉTODO DE TOWNE)




BÁSICA 
Lateral
AP axial (método de Towne

Fatores Técnicos

Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas), em sentido longitudinal
Grade móvel ou estacionária
Faixa de 80 +/-  5 kVp
Ponto focal pequena
Técnica e dose:

Proteção: Proteger a região torácica superior do paciente.

Posição do Paciente: Tirar todos os objetos de metal, plástico ou outros
objetos removíveis da cabeça do paciente. Fazer a radiografia com o
paciente na posição ortostática ou no decúbito dorsal.


Posição da Parte


Apoiar a parte posterior do crânio do paciente contra a mesa/superfície
do Bucky. . Flexionar o pescoço para trazer a LlOM
perpendicularmente ao filme.
Alinhar o plano mediossagital perpendicularmente à linha média do
porta­filme ou da mesa/superfície do Bucky.


Raio Central


Angular o RC 37° caudal à LOM se o dorso da sela e os processos
clinóides posteriores forem o interesse principal.
Angular o RC 30° caudal se os processos clinóides anteriores
forem o interesse principal.
Centralizar no plano mediossagital 1 1/2 polegada (4 em) acima do
arco superciliar. (O RC sairá no forame magno.)
Centralizar o filme com o RC projetado.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Colimação: Fazer a colimação para um campo cerca de 4 polegadas
quadradas.

Respiração: Prender a respiração durante a exposição.

Observação: Para obter uma imagem detalhada e nítida da sela turca,
o uso de um ponto focal pequeno e de colimação fechada é essencial.


Critérios Radiográficos


Estruturas Mostradas: Dorso da sela, processos clinóides anteriores
e posteriores (dependendo da angulação do RC), forame magno,
cristas petrosas e osso occipital.

LATERAL: SELA TURCA




BÁSICA
Lateral
AP axial (método de Towne)

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 18 x 24 cm (8 x 10 polegadas), um sentido transversal
Grade móvel ou estacionária
Faixa de 70-80 kVp
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente: Tirar todos os objetos de metal, plástico ou outros
objetos removíveis da cabeça do paciente. Fazer a radiografia com o paciente

na posição ortostática ou deitada semipronada (posição de Sim).

Posição da Parte


Situar a cabeça do paciente em uma posição lateral verdadeira; posicionar o
paciente obliquamente conforme necessário para dar-lhe conforto.
Alinhar a linha interpupilar perpendicularmente à mesa/superfície do Bucky.
Alinhar o plano mediossagital paralelamente à mesa/superfície do Bucky.
Situar a linha infra-orbitomeatal perpendicularmente à borda anterior do filme.


Raio Central


Alinhar o RC perpendicularmente ao filme.
Centralizar num ponto 3/4 de polegada (2 em) anterior e 3/4 de polegada
(2 em) superior ao meato acústico externo (MAE).
Centralizar o receptor de imagem (filme) com o RC
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).

Colimação: Fazer a colimação para um campo com tamanho de
aproximadamente 4 polegadas quadradas (10 crn2).

Respiração: Prender a respiração durante a exposição.

Observação: Para obter uma imagem detalhada nítida da sela turca, o uso de
um ponto focal pequeno e de colimação fechada é essencial.
Critérios Radiográficos

Estruturas Mostradas: Sela turca, processos clinóides anteriores e posteriores,
dorso da sela e clivus.

PA AXIAL - MÉTODO DE HAAS: CRÂNIO



Rotina para Crânio

Submentovértice(SMV)
PA axial (métodoHaas)


Fatores Técnicos


Tamanho do filme - 24 x 30 cm (10 x 12 polegadas), em sentido longitudinal
Grade móvel ou estacionária
Faixa de 70-80 kVp
Ponto focal pequeno
Técnica e dose:

Posição do Paciente: Tirar todos os objetos de metal, plástico ou outros objetos removíveis da cabeça do paciente. Fazer a radiografia com o paciente na posição ortostática ou pronada.


Posição da Parte



Apoiar a fronte e o nariz do paciente contra a mesa/superfície do Bucky.
Flexionar o pescoço, trazendo a LOM perpendicularmente ao filme. Alinhar
o plano mediossagital perpendicularmente ao RC e à linha média do porta- filme ou mesa/superfície de Bucky.
Assegurar-se de que não há rotação ou inclinação (plano mediossagital perpendicular ao filme).


Raio Central

Angular o RC 250 cefálico à LOM.
Centralizar o RC ao plano mediossagital através do nível das MÃES. 
Centralizar o receptor de imagem em relação ao RC projetado.
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).
Colimação Fazer a colimação nas margens externas do crânio em todos os lados.


Respiração: Prender a respiração.


Critérios Radiográficos



Estruturas Mostradas: Osso occipital, pirâmides petrosas e forame magno, com o dorso da sela e   clinóides,  posteriores visualizados na sombra do forame magno.